7 de fevereiro de 2015 – 7:31 | Sem comentários

Olá Crianças,
Para mim o ano começou ontem. Após um longo período de uma tortura mental, psicológica e financeira, meu ano começou…
Desde a copa de 2014 que as coisas começaram a definhar para mim e, talvez …

Continue lendo »
Crônicas

Humor

Pessoal

Poemas

Software Livre

Home » Crônicas, Pessoal

Aprendi

Escrito por em 3 de maio de 2010 – 21:41

Que coisa é nossa vida…

Me recordo quando era criança, por volta de 8 a 10 anos, que não via a hora de ter meus 18 anos. Queria minha independência. Será que a idade nos dá isso?
Bom, mas era o que eu pensava.

Nessa época comecei a descobrir algumas coisas da vida, como um soco bem dado por um garoto bem menor que você pode estragar bastante seus dentes e fazer você ficar sem vontade de tomar um sorvete por que irá doer pra diabo. Descobri também que não adianta cabular aula e achar que suas desculpas, tanto para a mãe quanto para a professora, são as melhores que um ser humano dotado de inteligência como Einstein, como eu julgava ter, iria funcionar o ano todo.

Descobri coisas como usar cuecas desde garoto previne de ficar com o bilau preso no zíper e sua professora, que você era apaixonado, iria te salvar dessa situação que lhe deixaria com vontade de enfiar a cara no primeiro buraco que encontrasse devido a vergonha, e que as meninas que pagava pau para você, iria te azucrinar no mínimo até o início das férias.

Como meus dezoito anos demorava para chegar, fiquei descobrindo coisas…
Descobri que, na escola, uma paçoquinha poderia valer uma revistinha pornô, pelo menos naquele tempo. Descobri que a menina que você julgava uma puxa-saco da professora e que você e mais meia dúzia de amigos a pentelhava chamando de Amarelão por ser loirinha, poderia se transformar na mulher mais bonita que você já viu, pena que isso me fez ver bem depois dos 18.

Descobri que amigos vem, amigos vão, mas alguns nunca deixam de existir em sua memória, mesmo que nunca mais os tenham vistos.
Ah, descobri também que o chão é mais duro quando você está numa bicicleta desgovernada a toda velocidade, que mesmo que você sonhe sendo batman ou super-homem, nessa altura seus cotovelos, pontas de dedos e tudo onde tocou no chão vai sangrar até você chorar feito um bebezinho.

E assim passam-se os anos com muitas descobertas.
Descobri que essa foi a melhor parte de minha vida, mas só fui descobrir quando cheguei aos 18…
Porque foi aos 18 que comecei a descobrir que, ter 18 não era bem como eu queria que fosse. Que ter 18 não me faria dono do meu nariz e sim que eu teria mais responsabilidades, que teria de descobrir como me manter e poucos anos depois a manter minha nova família…

Descobri que nessa idade as coisas parecem as mais duras de sua vida. Mais tarde descobri que não era com 18 e sim com 20, depois 25, 30, 35… Hoje, acho que com 39 é a pior, vamos ver o que descubro daqui a 2 anos.

Com 18 descobri… espera aí, deixe me tentar lembrar… Acho melhor pular para 20 porque 18 não me lembro.
Com 20 descobri como é bom ser pai, descobri também porque meus pais reclamavam muito da vida. Afinal não é fácil ter filhos, mas é lindo tê-los. Aprendi que ter cunhados e sogra é a parte mais dura de construir uma família.

Descobri, também, que as vezes nos enganamos no amor e a parte que dói mais é descobrir que vocês precisam ir cada uma para seu caminho e mantendo os filhos nos dois. Mas também descobri que vale a pena amar novamente e que as vezes “pegar” uma outra família pode ser gratificante sim. Pena que com isso terá novos cunhados, sogra…

Com 30 descobri que não adianta arrancar uma porcaria de cabelo branco que apareceu de repente porque meia hora depois terá encontrado mais dois e se arrancá-los estará careca em uma semana.

Descobri que a palavra tio dói mais que um soco no estômago se veio de uma gatinha, linda e maravilhosa que você ficou paquerando de longe e que a palavra senhor não significa respeito porcaria nenhuma e sim que você está ficando velho.

Enfim, descobri muitas coisas antes dos 18 e muito mais após ele, mas o que mais assusta é o que ainda falta descobrir.
E enquanto vivo novas descobertas, fico imaginando como seria se estivesse com meus 8 ou 10 anos…
Agora o que mais me intriga é, por que não me lembro dos 18?

Um comentário »

Comentar!

Comente abaixo, ou trackback de seu próprio site. Você também pode acompanhar esses comentários via RSS.

Seja educado, mantenha-se no tópico e sem spam.

Você pode usar estas etiquetas:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Este blog usa Gravatar. Para ter seu avatar global, registre-se em Gravatar.